Adjetivos Pátrios: Saiba tudo sobre

Você já ouviu falar sobre adjetivos pátrios? Tem dúvidas? Saiba aqui tudo sobre este tipo de adjetivo. Confira.

Antes de entramos no assunto deste conteúdo, que é adjetivos pátrios, é importante que relembremos o que é um adjetivo, o qual pode ser definido como palavras que caracterizam o substantivo, podendo ser: simples, compostos, primitivos, derivados, pátrios, restritivos, explicativos, uniformes ou biformes.

Os adjetivos pátrios têm como função representar a origem de pessoas, objetos e demais seres considerando sua cidade, estado, país ou continente.

Por exemplo: pão francês, perfume europeu, mineiro, paulista, acriano, pastor alemão e etc. Uma regra importante é que os adjetivos pátrios são sempre escritos com letra minúscula.(Aproveite e saiba sobre adjetivo).

Falando sobre Adjetivos Pátrios

Logo, podemos dizer que os adjetivos pátrios pertencem a uma das classes gramaticais e possuem subdivisões inerentes a classe pertencida. Estes adjetivos possuem variáveis, os quais podem sofrer flexão em relação ao número (plural e singular), ao gênero (masculino e feminino) e ao grau (normal, comparativo e superlativo).

Cabe lembrar que há pouco tempo atrás existia uma diferença entre os adjetivos pátrios dos adjetivos gentílicos, sendo que a diferença entre eles era de que os gentílicos faziam referência somente ao país de origem, sendo assim a nomenclatura de adjetivos gentílicos não existe mais.

Adjetivos pátrios

Adjetivos pátrios dos estado Brasileiros

Sabendo disso, vamos aos adjetivos pátrios dos estados brasileiros

Exemplos:

  • Quem nasce no Acre, é acriano;
  • Em Alagoas, é alagoano ou alagoense;
  • Em Amapá, é amapaense;
  • No Amazonas, é amazonense;
  • Na Bahia, é baiano;
  • No Ceará, é cearense;
  • No Distrito Federal, é brasiliense;
  • No Espírito Santo, é espírito-santense ou capixaba;
  • Em Goiás, é goiano;
  • No Maranhão, é maranhense ou maranhão;
  • Em Mato Grosso, é mato-grossense;
  • Em Mato Grosso do Sul, é mato-grossense-do-sul ou sul-mato-grossense;
  • Em Minas Gerais, é mineiro ou geralista;
  • No Pará, é paraense, paroara ou parauara;
  • Em Paraíba, é paraibano;
  • No Paraná, é paranaense, paranista ou tingui;
  • Em Pernambuco, é pernambucano;
  • No Rio de Janeiro, é fluminense;
  • No Rio Grande do Norte, é rio-grandense-do-norte, norte-rio-grandense ou potiguar;
  • Rio Grande do Sul, é rio-grandense-do-sul, sul-rio-grandense ou gaúcho;
  • Em Rondônia, é rondoniense ou rondoniano;
  • Em Roraima, é roraimense;
  • Em Santa Catarina, é santa-catarinense, catarinense, catarineta ou barriga-verde
  • Em São Paulo, é paulista ou bandeirante;
  • Em Sergipe, é sergipano ou sergipense;
  • Em Tocantins, é tocantinense;

Em relação à formação de adjetivos pátrios compostos, o prefixo é usado na forma reduzida e na maioria das vezes erudita também, veja nos exemplos a seguir: cultura afro-americana, produtos belgo-franceses, peças austro-bulgáras, acordos luso-brasileiros e etc. E vale lembrar uma regra da reforma ortográfica onde se usa o hífen em nomes compostos e geográficos iniciados com grão, grã ou qualquer tipo de verbo.

Aproveite e saiba mais :

Adjetivo pátrios da América latina

E por fim, vamos trazer alguns exemplos de adjetivos pátrios de países, escolhemos os da América Latina, pois nele estamos inseridos:

  • Quem nasce na Argentina, é argentino;
  • Na Bolívia, é boliviano;
  • No Brasil, é brasileiro;
  • No Chile, é chileno;
  • Na Colômbia, é colombiano;
  • No Equador, equadoriano;
  • Na Guiana, é guianense ou guianês;
  • No Paraguai, é paraguaio ou paraguaiano;
  • No Peru, é peruano;
  • No Suriname, é surinamense ou surinamês;
  • No Uruguai, é uruguaio ou uruguaiano;
  • Na Venezuela, é venezuelano;

Como você pode perceber, este assunto é relativamente bem simples, sem muitas regras e como trata de adjetivos que usamos muito no cotidiano a assimilação também é fácil, aposto que você conhecia a maioria dos adjetivos pátrios que trouxemos aqui!

Gostou ! Aproveite e compartilhe!